3 fatos sobre proteção veicular que vão abrir os seus olhos - Satcom Rastreadores

3 fatos sobre proteção veicular que vão abrir os seus olhos

mm Redação Satcom

De uns anos para cá, aumentou muito o número de veículos na rua.

Em consequência, também aumentaram o número de crimes, assaltos a mão armada, perseguição e roubos em geral.

Da mesma forma aconteceu com os acidentes de trânsito, que aumentaram
consideravelmente nos últimos anos.

Todos esses fatores contribuíram para que donos de automóveis, novos e antigos, recorressem a algum tipo de proteção veicular.

A relação custo x benefício é ótima!

Fato que realmente pesa na escolha de quem deseja contratar o serviço.

Portanto, o número de motoristas que não querem investir alto nisso e vão em busca de uma associação de proteção veicular também aumentou.

O serviço conta com assistência 24 horas, todos os dias da semana – o que por si só já seria suficiente.

Mas, além do valor ser barato por ser rateado entre todos os associados, existe um outro fator que também pesa muito: Numa associação de proteção veicular, o tempo de habilitação, a idade e o sexo não influem em nada no valor a ser pago.

O que não ocorre em uma seguradora, por exemplo. Essas elegem preços tabelados estratosféricos para novos habilitados ou mesmo para pessoas de mais idade.

Pensando em você, para ajudá-lo a conhecer melhor esse serviço oferecido por diversas associações, separamos algumas informações relevantes que você precisa saber antes de contratar esse tipo de serviço de proteção veicular.

Confira nas próximas linhas e descubra!

Fatos que você precisa saber sobre proteção veicular!

1 – Quando surgiu?

A Proteção Veicular no Brasil surgiu no em meados da década de 1980, em São Paulo. De início, era uma iniciativa popular. A finalidade era sanar a enorme carência existente em relação à proteção patrimonial,
causada pelo caos na segurança pública. Não havia fins lucrativos.

Apesar de ter se originado em São Paulo, foi na cidade de Betim, Minas Gerais, que a solução para o problema foi encontrada.

Caminhoneiros transportadores de veículos, de cargas inflamáveis por exemplo, era a classe que mais sentia-se desprotegida.

Ao irem até as seguradoras, frustraram-se. O valor correspondia cerca de 50% dos seus salários. E foi assim, que começaram a enxergar no colaborativismo, a união para conseguir força e conquistar benefícios e preços acessíveis.

2 – É diferente do seguro

O seguro também é uma forma de serviço de proteção veicular.

Mas, como já citamos, é bem diferente da proteção veicular por associação.

No seguro, o cliente irá assinar um contrato com a empresa prestadora do serviço, gerando uma apólice.

A apólice garante que a empresa irá assegurar o veículo do cliente.

O novo cliente então fica responsável por realizar pagamentos à seguradora de forma periódica, um valor conhecido como o prêmio de seguro.

Esse prêmio que o assegurado passará a pagar envolve uma série de fatores, como modelo do carro, gênero do cliente, região onde mora e etc. Assim é determinado o valor a ser pago.

3 – Pesquise antes de contratar

Nem tudo que parece, é. E, por mais óbvio que pareça, esse é um fato recorrente. Poucas pessoas se preocupam com esse detalhe, que é no mínimo, muito importante.

Muitos motoristas acabam por “surfar na onda” de amigos que também acabaram por contratar um serviço, e quando menos esperam, ambos saem no prejuízo.

Antes de escolher qualquer tipo de proteção veicular, faça uma boa pesquisa sobre a empresa.

Não avalie apenas os preços, veja também quais são as benefícios e serviços inclusos no serviço.

Mas, especialmente, atente-se à idoneidade da empresa. Começando por consultar se ela possui CNPJ, depois verifique se a mesma possui sede
própria e, se possível, vá até lá para conferir.

Conheça seus parceiros, se ela tiver.

Busque informações sobre a qualidade dos serviços, pagamentos e referências no mercado automotivo. Repare também na quantidade e a qualidade das oficinas que são parceiras da associação.

Afinal, elas que lhe prestarão serviços quando necessário. Falando de parceiros, outro detalhe importante é informar-se sobre as concessionárias que se relacionam com a empresa.

Pode ocorrer de essas concessionárias nem estarem mais ativas ou nem mais serem parceiras da empresa. Portanto, tenha atenção e tenha bons critérios.
Proteja o seu veículo antes que seja tarde.

As associações de proteção veicular são uma excelente alternativa para quem não quer, ou não pode, ter um seguro de automóvel.

A proteção veicular é mais flexível, e portanto é de mais fácil acesso para todo mundo. Com a proteção veicular, você terá mais segurança do seu patrimônio, não correndo o risco de sofrer sérios prejuízos materiais.

Você também pode entrar numa associação de proteção veicular quando quiser.

Faça uma cotação de proteção veicular o mais rápido possível, preenchendo o formulário abaixo.




mm

Sobre o autor(a)

Redação Satcom